Notícias

Pesquisa desenvolve o primeiro soja tolerante percevejo

Image default

Conheça os benefícios da nova pesquisa e como ela impacta positivamente no combate a praga.

 

O primeiro cultivo de soja com tolerância ao ataque de percevejos foi registrada pela Embrapa, e estará disponível no mercado nas próximas estações.

Desenvolvido por meio de melhoramento genético tradicional, o cultivo  tem um alto potencial produtivo e apoio a dupla de ataque dos percevejos, sem reduzir o rendimento.

Bed bugs são atualmente uma das mais importantes pragas na cultura da soja, uma vez que interferem na produtividade e qualidade de grãos e sementes.

De acordo com o pesquisador Carlos Arrabal Arias. Líder do programa de melhoramento genético da soja na Embrapa. O dano é aumentado pela ocorrência de altas populações do percevejo, especialmente o marrom (Euschistus heros), e pela resistência de pragas a alguns inseticidas.

“Nós introduzimos as características de resistência ou tolerância a insetos em cultivares de soja para facilitar a gestão de pragas no campo”.  Diz Arias, que também é responsável pelo desenvolvimento de genótipos resistentes a insetos. “Resistência genética é o método mais econômico para a gestão de pragas e doenças”, salienta o cientista.

Cultivar suporta o dobro de bed bugs

A busca por lavouras de soja com maior tolerância ao ataque de insetos sugadores foi intensificada, desde 2016.

Foi quando eles foram avaliados em campo experimental da Embrapa Soja, em Londrina (PR). Foram 30 de variedades convencionais e 20 com a tecnologia RR e Intacto.

Os resultados mostraram que as plantas desenvolvidas mostraram uma alta produtividade, mesmo quando atacada por percevejos.

Enquanto o nível de danos definido pela atual pesquisa é de dois percevejos por pano de batida, a nova cultura é capaz de suportar pelo menos o dobro de bed bugs, sem afetar a sua produtividade.

Algumas plantas, mesmo na presença de alta população de percevejos, manteve a produtividade alta. Enquanto que as cultivares suscetíveis ao ataque desses insetos mostraram perdas importantes.

Menor custo e mais o manejo integrado de pragas

Na Embrapa, as melhores plantas a partir de cruzamentos genéticos da resistência específica de percevejos foram testados em gaiolas fechadas, instalado no campo experimental.

Nesta condição, o objetivo foi avaliar o nível de danos causados por percevejos da soja, a partir da presença de zero, quatro, oito e 16 de percevejos.

“Esses ensaios também confirmaram os resultados obtidos anteriormente”. Afirma o pesquisador da Embrapa Soja, Clara Beatriz Hoffmann Campo. “A vantagem dessa tolerância é que o produtor pode esperar por mais tempo para ficar com inseticidas.

Além de reduzir os custos, ainda mantém a presença de inimigos naturais no campo. O que promove o controle natural de pragas, através da integração de táticas de manejo Integrado de Pragas”. Explica a pesquisadora.

Percevejo marrom é uma das principais pragas da soja

O principal problema de percevejos é o seu ataque direto em grãos e vagens da soja. Ao contrário de lagartas, por exemplo, que atacam as folhas. “O percevejo pode causar dano direto em grão que o agricultor colhe.

Portanto, existe um potencial de perda na produtividade e também na qualidade dos produtos que serão gerados, como o de óleo e ração animal”. Explica o pesquisador Samuel Roggia, da Embrapa Soja. No caso de produtores de semente, o problema é ainda maior. O ataque de percevejos afeta a força da semente, o que terá um impacto na criação da futura colheita.

Controle

Em particular, o percevejo-marrom (Euschistus heros) tem seu controle feito basicamente com produtos químicos. Existem vários casos de população que apresentam alta tolerância a alguns inseticidas. “São populações em que os inseticidas não são capazes de controlar”, disse Roggia.

Ao contrário de outras pragas, ainda não estão disponíveis ferramentas para combater este percevejo.

Com o aumento da resistência das populações de percevejos de cama e dos produtos químicos. O produtor entra em um cenário de alto risco de perda de controle desta praga. “Por isso, a importância de cultivares tolerantes às pragas.

Ele é uma ferramenta para ser inserido na gestão integrada do percevejo-castanho. Isso reduz o risco que apresenta para a cultura. Esta ferramenta pode ser integrada com outras táticas que já existem como o controle químico.

 

Confira como escolher os melhores cultivares de soja acessando o link aqui.

Related posts

Empresa Perfarm lança Software rural totalmente gratuito para os Agricultores

Benefícios do consórcio de máquinas agrícolas

Hgfleks turbina as Máquinas Agrícolas e Evita perda de Grão em até 70%

Leave a Comment

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. aceitar leia mais

Privacy & Cookies Policy
error: Content is protected !!